Projeto do MM Gerdau- Museu das Minas e do Metal recebe prêmio internacional

O museu foi o único brasileiro contemplado na categoria do programa Ibermuseus

 

O Museu das Minas e do Metal, espaço integrante do Circuito Liberdade, foi premiado na 7° edição do programa Ibermuseus, na categoria que prestigia projetos em fase de elaboração e/ou planejamento. O museu desenvolveu uma proposta acessível e inclusiva, tornando possível que deficientes visuais possam ter acesso ao acervo museológico. A premiação tem como objetivo a interação dos países Ibero-americanos para o fomento e articulação de políticas públicas para a área de museus e da museologia. 167 projetos de 18 países se inscreveram.

O projeto é fruto de uma pesquisa de mestrado, na qual o engenheiro português Roberto Ivo Fernandes Vaz, coordenado pela professora Ana Cecilia Rocha Veiga, da Escola de Arquitetura da UFMG, desenvolveu um protótipo denominado “Pedras sabidas”. A proposta foi produzida com o intuito de agregar mais pessoas ao acervo, inserindo deficientes visuais, cadeirantes e deficientes auditivos para apreciar o conteúdo museológico de maneira mais eficaz.

A professora Ana Cecília, coordenadora do projeto, fala da sua participação “Foi uma experiência extremamente enriquecedora coordenar esse projeto de pesquisa, pois seus frutos vão ao encontro da função social dos museus, incluindo o desenho universal e colocando a tecnologia assistiva a serviço do visitante, considerando toda a sua diversidade”.

O protótipo desenvolvido permite a exploração sensitiva de amostras e a comunicação dos conteúdos educativos, simultaneamente, recorrendo a uma nova linguagem tecnológica de interação. Enquanto o visitante manuseia amostras minerais, gravações de áudio, imagens e textos ficam disponíveis.

A professora ainda completa falando sobre a importância da acessibilidade em museus “O museu só cumprirá plenamente o seu papel se possuir uma agenda de inclusão. Daí a importância de iniciativas como esse projeto, que objetiva contribuir para modificarmos esse cenário e tornarmos nossos museus mais acessíveis a todos os tipos de público”, fala.

O projeto é fruto de um Convênio entre a UFMG/GRAFT, o Museu das Minas e do Metal – MM Gerdau e a universidade portuguesa IPB – Instituto Politécnico de Bragança. O Convênio tomou curso entre 2015 e 2016, desenvolvendo o projeto de pesquisa TI em Museus de Alta Complexidade: MM Gerdau como estudo de caso. Foi financiado pela Associação Mantenedora do Museu das Minas e do Metal  e pela Lei Rouanet de Incentivo à Cultura. A Pesquisa/Convênio foi coordenada pela Profª Ana Cecília Rocha Veiga (LavGRAFT/UFMG), com a participação do doutorando Roberto Ivo Fernandes Vaz (coordenador executivo interface e bolsista de pesquisa), da Profª Paula Odete Fernandes (Universidade IPB/Portugal), da Diretora do Museu das Minas e do Metal – Márcia Regina Guimarães, além de toda a equipe.

O Museu das Minas e do Metal receberá um prêmio de US$ 10 mil, que deve ser destinado à construção de mais quatro modelos interativos para integrar o acervo.

Outros prêmios

Na edição do ano passado do prêmio, em 2016, outro integrante do Circuito Liberdade foi contemplado, o Memorial Minas Gerais Vale. O espaço obteve o o 1° lugar na categoria de projetos em fase de implantação, com a iniciativa “Memorial Itinerante- Africanidades”. O programa visa levar exposições audiovisuais, peças do acervo e um programa de relações étnico- raciais para profissionais da área da educação em diferentes estados mineiros.

 

 

 

 

 

 

Faça um Comentário:

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *