13/11/2017

Maratona internacional traz ideias inovadoras para o Circuito Liberdade

Maratona internacional traz ideias inovadoras para o Circuito Liberdade

Projetos desenvolvidos no Museomix em três dias poderão ser implementadas nos museus

 

No último final de semana (10 a 12 de novembro), foi realizada, pela primeira vez na América do Sul, o Museomix, uma maratona criativa internacional que tem como objetivo o desenvolvimento de protótipos inovadores de intermediação entre acervos e visitantes. O Circuito Liberdade foi o palco dessa maratona que trabalhou com a multidisciplinaridade e que resultou em seis ideias que podem, futuramente, serem implementadas em espaços do Circuito.

Os participantes, chamados de "museomixers", trabalharam três dias concentrados no prédio Rainha da Sucata. Ferramentas tecnológicas como impressoras 3d e máquinas de corte a laser ficaram disponíveis para a realização dos projetos. Os grupos, compostos por seis integrantes, eram formados por pessoas com habilidades distintas, como programadores, artistas, historiadores, artesãos e comunicadores que se juntaram em prol de um mesmo objetivo.

Dentre os protótipos desenvolvidos, estão uma fábrica de “memes” dos acervos dos museus do Circuito; um quebra cabeça com dicas e desafios relacionados a arquitetura dos prédios e uma cabine de memórias, onde a proposta é que o visitante também se torne protagonista do processo de visitação. No domingo (12\11), os trabalhos desenvolvidos ficaram expostos para o público que puderam conferir os resultados dos três dias de trabalho.

A museomixer Luisa Souza, integrante do grupo “Nós”, acredita que o principal aprendizado se deu a partir das diferenças. “Foi muito legal começar um projeto do zero, em três dias construímos uma história. Percebemos que é possível implementar uma ideia de forma rápida e coerente quando se tem uma equipe com diferentes habilidades”, diz.  

Participante da equipe “Grupo da Papuda”, o museomixer André Caviola afirma ter sido desafiador. "Primeiro, pelo tempo determinado, é um trabalho intenso e lidar com a expectativa foi um problema, mas conseguimos um bom resultado e espero que tenhamos conseguido transmitir para o público a nossa ideia”, disse.

O Museomix teve origem na França, em 2011, e desde então já aconteceu em oito países e 43 museus. Essa foi a primeira edição do evento no Brasil e na América do Sul.  O projeto foi realizado pelo Governo do Estado, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) / Circuito Liberdade, e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes). A iniciativa contou também com a parceria da Embaixada da França no Brasil, do BDMG Cultural, da Prodemge, da Codemig, dos Centros Universitários Newton Paiva, UNA e  UniBH, da Bosh, da Atmosphera e da Gerdau, além de empresas e entidades.

Faça um Comentário:

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *